Área do cliente

Notícias

IEL comemora Dia do Estagiário com 1,7 mil jovens inseridos no mercado

Sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Atividade é o melhor caminho para desenvolver profissionais de acordo com necessidades do mercado; empresas revelam sucesso de seus programas de desenvolvimento e retenção de talentos

O estágio é bom para todo mundo. Para os jovens, é uma oportunidade de aprendizado e de chegarem mais bem preparados ao mercado de trabalho. Para as empresas, proporciona a descoberta e a retenção de novos talentos.

Os estagiários têm um dia dedicado a eles – 18 de agosto –, que será comemorado neste domingo. A data foi estabelecida em 1982, por meio de decreto (nº 87.497) que reconhece o papel da atividade na formação de bons trabalhadores.

“O estágio proporciona aos alunos contato com profissionais experientes e uma oportunidade de aprendizado, na qual situações e práticas da profissão são repassadas para que eles comecem a desenvolver suas habilidades e competências na área de atuação escolhida”, afirma Thayse Ferro, coordenadora de Educação Empresarial e Desenvolvimento de Carreira do Instituto Euvaldo Lodi (IEL/AL).

A entidade, ligada à Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea), é referência no recrutamento, seleção e acompanhamento de estagiários para empresas alagoanas. Somente de janeiro a junho deste ano, o IEL inseriu mais de 1.700 estagiários no mercado, em todo o Estado.

Thayse explica que, em 2008, o estágio passou a ter regras definidas por uma lei específica, que, entre outros direitos, torna obrigatório o pagamento de bolsa e auxílio-transporte, limita a jornada semanal e garante 30 dias de férias por ano.

Segundo ela, as organizações precisam não somente reconhecer talentos, mas investir em potencializá-los, por meio do autoconhecimento. “Para isso, o IEL conta com o Programa Foco na Carreira, que foi desenvolvido exclusivamente para o público jovem, levando em consideração a sua linguagem, comportamento e interesses. E temos uma sala específica para estimular a criatividade”, conta.

O bom exemplo vem de casa. “Acreditamos que experiências transformam. Todas as coordenadoras do IEL foram nossas estagiárias e 50% dos colaboradores também. Nosso número de estudantes inseridos no mercado é para ser celebrado todos os dias, em especial, no Dia do Estagiário!”, frisa Thayse.

Escolha certa

Com 23 anos de idade, Maxwell Lima trocou um emprego, que lhe garantia certa estabilidade financeira, por um estágio no Sistema S. Ele também queria mais tempo para investir na formação acadêmica. A decisão foi acertada.

Após o estágio, ele foi contratado pelo Serviço Social da Indústria (Sesi), onde atua na Diretoria de Gestão Estratégica. “A gente é desafiado e aprende algo novo todos os dias e, para a minha formação, isso é essencial. Lido com pessoas totalmente diferentes do meu perfil profissional, de diversos cargos e de níveis hierárquicos totalmente distintos, isso vem para agregar à minha formação profissional”, relata.

Empresas procuram inovação

O Pratagy Beach Resort, situado no Litoral Norte, é uma das empresas que desenvolvem um programa de retenção de talentos, com a parceria do IEL. No momento, a empresa possui 16 estagiários e uma história de valorização: todos os funcionários contratados no Departamento de Marketing são ex-estagiários.

A gestora de Pessoas do resort, Elaine Gomes, conta que a empresa busca alunos que tenham, em seu perfil, muita vontade de adentrar ao mercado de trabalho com um diferencial: a busca pela inovação no seu dia a dia de estudo.

Ela revela que é bem exigente na seleção. “Eu não tenho uma receita pronta. Quando eu faço processo seletivo busco encontrar nesses alunos algo que brilhe, que eu perceba que vai fazer toda uma dinâmica diferente de qualidade de atendimento, de inovação”, explica.

As portas também estão abertas para quem quer mudanças na carreira. Formada em Educação Física pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Jéssica Macieira, de 28 anos, estuda Gestão de Turismo no Instituto Federal de Alagoas (Ifal).

Ela entrou no resort em fevereiro último e, em maio, foi contratada para o setor de Reservas. “O estágio facilitou a transição, porque o sistema é o mesmo, então, a gente chega lá já conhecendo o processo, como funciona o hotel, como lidar com algumas coisas, então, ajudou bastante”, disse.

Já formada em Relações Públicas, a estudante de Jornalismo da Ufal Larissa Sarmento, de 26 anos, atua no Departamento de Marketing do hotel. Ela afirma que a experiência no atendimento aos hóspedes, pessoalmente ou nas redes sociais, e ainda nas plataformas tecnológicas, faz toda a diferença.

“Eu acho formidável. O fato de eu estar participando de uma empresa tão grande, com uma cultura organizacional tão sólida, me faz sentir que me encontrei aqui como profissional. E espero, realmente, que o contrato finalize para eu ser efetivada, que é um dos meus maiores objetivos agora”, ressalta.

O litoral alagoano atrai muitos turistas falantes da Língua Espanhola. Relacionar-se com este público é fundamental. Foi aí que a estudante do curso de Letras-Espanhol da Ufal, Alice dos Santos Moreira Nascimento, de 23 anos, encontrou uma oportunidade no Pratagy Beach Resort.

Ela lembra que a entrevista para a vaga foi toda em Espanhol. “A seleção foi bem acertada, creio eu, porque pôde avaliar as pessoas que dominavam melhor a língua e tinham informações pertinentes ao hotel”. O resort tem uma parceria com a universidade com o objetivo de ministrar aulas de Espanhol para os colaboradores, pois, segundo dados oficiais, 60% dos turistas estrangeiros que visitam Alagoas são argentinos.

Alice enxerga no estágio uma grande oportunidade no desenvolvimento profissional e na carreira dela. “É a primeira vez que nós, estagiários de Letras-Espanhol, damos aula em um ambiente que não é uma instituição de ensino, e o Espanhol tem crescido bastante no Estado de Alagoas, justamente, na área do turismo”, conclui.

Estágio é benéfico para o mercado de trabalho

Os negócios começaram a crescer e a empresária Neuzete Domingos, proprietária da empresa Análise Contábil, enfrentava obstáculos relacionados à mão de obra: os profissionais da área de contabilidade eram raros e, por isso, caros.

Quando um funcionário tirava férias, era difícil encontrar alguém que substituísse. A solução foi investir na formação de novos profissionais. “Vou começar a desenvolver estes meninos”, pensou. Hoje, a empresa sediada em Arapiraca-AL e com filiais em Delmiro Gouveia-AL, Neópolis-SE e Aracaju-SE possui 80 funcionários.

Dos 30 estagiários selecionados pelo IEL que passaram pela Análise Contábil, 21 foram contratados. Destes, seis ocupam cargos de gestão. “Eles são melhores na busca por crescimento e na produtividade. Estou muito satisfeita com a mão de obra [formada por ex-estagiários]”, disse.

A empresária conta o que observa no futuro contratado. “[A contratação] depende do desempenho e competência, alem de pontualidade e postura profissional”, ressalta a proprietária da empresa que foi considerada uma das 12 melhores para se trabalhar, no País, pela organização Great Place to Work (GPTW).     

Compartilhe:

Deixe aqui a sua opnião sobre este produto ou serviço.